sexta-feira, 29 de abril de 2016

Obras de Umberto Eco são tema do primeiro encontro de 2016 do NAMI


            O Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas (NAMI), do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba, realizou no dia 25 de abril de 2016 sua primeira reunião de 2016. Ela teve como foco principal iniciar um diálogo entre seus integrantes e participantes presentes a respeito da importância da visão de Umberto Eco (1932-2016) para a área da Comunicação. Eco foi um importante escritor, filósofo, semiólogo e linguista italiano, o que tornou suas obras, em particular as teóricas, de primordial importância para os estudos de Comunicação.
            No encontro, a professora doutora Monica Martinez dissertou sobre o livro Como se faz uma tese, abordando de maneira irreverente, como esta obra do italiano, sobre a construção de projetos de pesquisa.
            A professora doutora Miriam Cristina Carlos Silva apresentou Seis passeios pelos bosques da ficção, falando sobre o processo de interpretação de um texto narrativo. Nesta obra, Eco destaca que Italo Calvino elogiara a rapidez de seu texto, como se fosse necessário criar um “jogo” com o leitor. Os intitulados bosques são uma metáfora para as narrativas.
            Já a professora doutora Tarcyanie Cajueiro discorreu sobre Apocalípticos e integrados, na qual Eco define apocalípticos como os estudiosos que condenavam os meios de comunicação de massa, enquanto integrados seriam aqueles que  os acolhem de forma acrítica. Os motivos para condenar seriam os de que eles transformariam o público numa massa homogênea, padronizada e desestimulada à sensibilidade e ao pensamento, deixando-os conformados. Outra obra do autor que Caujeiro contrapôs foi Viagem na irrealidade cotidiana, na qual Eco faz uma crítica ao falso e as cópias.


Texto: Aline Albuquerque
Foto: Diogo Azoubel

quarta-feira, 20 de abril de 2016

25/4 - Primeiro encontro de 2016 do Grupo de Narrativas Midiáticas (NAMI) da Uniso


Na próxima segunda-feira, dia 25 de abril, daremos início às atividades de 2016, estudando narrativas midiáticas a partir da perspectiva do filósofo e escritor italiano Umberto Eco (1932-2016). Eco foi titular da cadeira de Semiótica e diretor da Escola Superior de Ciências Humanas na Universidade de Bolonha, um ensaísta brilhante, com obras que se tornaram seminais nos estudos da Comunicação, produziu ficção de qualidade, caso de O Nome da Rosa,  O Pêndulo de Foucault e, mais recentemente, Número Zero

Nossa intenção no primeiro encontro do grupo deste ano é a de iniciar o diálogo com a obra do autor. Neste sentido, a prof. dra. Monica Martinez abordará Como escrever uma tese, que foi marcante para seu ingresso na carreira acadêmica. A prof. dra. Miriam Cristina Carlos Silva dissertará sobre Seis passeios pelos bosques da ficção, destacando os conceitos de narrativa que "ela aprendeu ali e usa até hoje". Já a prof. dra. Tarcyanie Cajueiro apresentará Apocalípticos e Integrados, vital para os estudos de Teoria da Comunicação, contrapondo-a com Viagem na Irrealidade Cotidiana em sua perspectiva pós-moderna.

Os encontros são abertos à comunidade interna e externa, sendo também certificados, valendo créditos para os mestrandos e graduandos da Uniso e de outras instituições. 

Quando: 25/4, segunda-feira
Horário: das 14h às 16h
Onde: Auditório Central
Rodovia Raposo Tavares, km. 92.5
Cidade Universitária, Sorocaba, SP


Mais Informações: (015) 2101-7104 (de segunda à sexta-feira, em horário comercial) ou pelo email daniela.rosa@uniso.br.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

O método da história oral na construção de narrativas



        O Grupo de Narrativas Midiáticas (NAMI) do Mestrado em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (Uniso) recebeu, em 12 de abril de 2016, o Prof. Dr. Alex Criado. Ele ministrou a palestra “O método da história oral”, contextualizando o surgimento histórico e esclarecendo esta forma de construção de narrativas por meio da coleta de depoimentos.
       O professor Criado é mestre e doutor  em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) e atualmente é professor de graduação em jornalismo na Fiam-Faam Centro Universitário e da Faculdade das Américas, além da Pós-Graduação em Jornalismo Literário.
            Segundo Criado, o método compreende histórias orais de vida (busca narrar o conjunto de experiências da vida de uma pessoa) e histórias orais temáticas (a experiência do entrevistado conta apenas como fato).

            Criado destacou que a entrevista é o momento crucial para a produção de um bom documento, o que transformou os historiadores que o empregam em grandes entrevistadores. Ainda assim, neste método, o dono do relato é o depoente e não o historiador − uma das diferenças em relação aos métodos e técnicas jornalísticos. Logo, o entrevistado tem todo o direito de aprová-lo ou não, podendo a aprovação ser total ou parcial, com ressalvas ou condições.
            Finalmente, o especialista relatou sua experiência pessoal com o método, uma vez que empregou-o em sua tese ("Falares: a oralidade como elemento construtor da grande-reportagem") e dissertação ("Repórteres pioneiras resgate da trajetória de três jornalistas através da história oral"). Além disso, ele citou exemplos baseados nos livros Elas ocuparam as redações, Augusto e Lea, Brasil fora de si: experiências de brasileiros em Nova York e Canto de Morte Kaiowá, escritos pelo professor doutor José Carlos Sebe Bom Meihy, um dos introdutores da história oral na USP.
          

                                                 Texto: Aline Albuquerque, Karoline Póss, Thatiane Silva 

terça-feira, 5 de abril de 2016

12/4 - 14h - Palestra sobre o método da história oral em Comunicação com Prof. Dr. Alex Criado


O Mestrado em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (Uniso) tem o prazer de convidar para a palestra “O método da história oral”, que será ministrada pelo Prof. Dr. Alex Criado. 

Doutor em Ciências da Comunicação pela ECA-USP, com a tese "Falares: a oralidade como elemento construtor da grande-reportagem", o docente fez mestrado pela mesma instituição, com a dissertação "Repórteres pioneiras resgate da trajetória de três jornalistas através da história oral". Atualmente é professor da FIAAM-FAAM Centro Universitário e da Faculdade das Américas (FAM). É professor do curso de pós-graduação em Jornalismo Literário e conselheiro da Aliança pela Infância.

A palestra é gratuita, aberta a interessados e será realizada no Anfiteatro da Biblioteca no dia 12/4/2016, a partir das 14h. A atividade é parte integrante da Disciplina de Narrativas Midiáticas, e dos estudos do  Nami − Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas, conduzida pelas professoras doutoras Miriam Cristina Carlos Silva, Monica Martinez e Tarcyane Cajueiro.

Serviço
Quando: 12 de abril, a partir das 14h
Onde: Anfiteatro da Biblioteca da Uniso
Rodovia Raposo Tavares, km, 92.5
Cidade Universitária, Sorocaba, SP

Informações: (015) 2101-7185 (de segunda à sexta-feira, em horário comercial) ou pelo email daniela.rosa@uniso.br.