quinta-feira, 14 de maio de 2015

Narrativa como método é tema de palestra do Nami


Professor da USCS/FIAMFAAM narrou os caminhos investigativos de sua tese, premiada pela SBPJor


Quem ouviu na manhã desta segunda-feira, 11 de maio de 2015, a palestra ministrada pelo Prof. Dr. Eduardo Luiz Correia no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (Uniso), provavelmente se sentiu como se estivesse lendo um romance policial ou assistindo a um filme de Sherlock Holmes.


“História e ficção na narrativa de um escândalo midiático”, tese defendida por Correia em 2012 na Universidade de Brasília (UnB), é o que podemos chamar de uma verdadeira investigação a respeito do “caso Celso Daniel” (prefeito da cidade de Santo André, do ABC paulista, assassinado em 2002). Mas certamente não mais uma entre as muitas investigações que pretenderam chegar à “verdade, nada mais que a verdade, sobre os fatos”.


Eduardo buscou compreender como a versão do Ministério Público (que para ele é a mais imaginária, cheia de reviravoltas e enigmas não resolvidos) prevaleceu sobre a da Polícia Civil (mais plausível para o pesquisador) no noticiário, em especial o da Folha de S.Paulo.


Por meio da hermenêutica e da própria narrativa enquanto método – tema aprofundado pelo orientador de Correia, o Prof. Dr. Luiz Gonzaga Motta – a pesquisa desvendou as estruturas narrativas do jornalismo investigativo em questão e como elas atuaram para causar uma "sensação de verdade" a respeito de uma das versões. Estruturas essas, não por acaso, muito semelhantes às dos romances policiais.



A palestra integrou a Disciplina de Narrativas Midiáticas, conduzida pelas professoras doutoras Miriam Cristina Carlos Silva e Monica Martinez, e também as atividades do Grupo de Pesquisa Narrativas Midiáticas (NAMI), liderado por elas e composto ainda  pela professora Tarcyanie Cajueiro, entre outros pesquisadores.


O trabalho compartilhado pelo professor Correia foi escolhido em 2013 como a melhor tese de doutorado no prêmio Adelmo Genro Filho, da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor). Atualmente, Correia  é docente da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e do FIAM FAAM Centro Universitário, ambos de São Paulo.

Texto Isabella Reis
Foto Willian Welbert