segunda-feira, 27 de abril de 2015

NAMI abre ciclo de debates sobre obra do documentarista Eduardo Coutinho

Os 17 participantes do primeiro encontro de 2015 do NAMI

Cabra Marcado para Morrer fomenta debate sobre narrativas midiáticas contemporâneas

A primeira reunião de 2015 do Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas (NAMI) da Universidade de Sorocaba (Uniso), realizada em 27 de abril, foi marcada pelo debate acerca da obra do documentarista brasileiro Eduardo Coutinho (1933-2014). 

Partindo do filme Cabra Marcado para Morrer (1984), e com base no texto Triunfo e tormento, do cineasta Eduardo Escorel, os pesquisadores referenciaram as relações dos trabalhadores rurais do Nordeste brasileiro com os sistemas políticos nacionais, com a mídia, com as narrativas, com seus projetos de pesquisa e consigo mesmos. 

Iniciadas em fevereiro de 1964, as filmagens do documentário foram interrompidas pelos militares e retomadas depois de 17 anos pelo diretor Eduardo Coutinho e sua equipe. Por meio do relato do assassinato do líder da Liga Camponesa de Sapé - Paraíba, João Pedro Teixeira, em 1962, o filme mostra como a criação dessas ligas em prol da reforma agrária e de melhores condições subsistência influenciou a vida dos trabalhadores. 

Dando continuidade aos debates sobre a obra do diretor neste ano, filmes como Boca de Lixo (1992) Edifício Master (2002) e Jogo de Cena (2007) fazem parte da agenda do Nami. Os próximos encontros acontecem em 29 de junho, 28 de setembro e 30 de novembro respectivamente. Agende-se!

Por Diogo Azoubel